quinta-feira, 17 de março de 2011

Japão

Um dia depois do Tsunami no Japão e ao final do dia de trabalho, escrevinhei rápidamente, sem pensar e com uma grande frustração, tristeza (nem sei explicar o que senti) exactamente isto numa folha de papel:
“Não estou a ser capaz de enviar vibrações positivas para aqueles que morreram no Tsunami do Japão. Não sei se é por saber que este é o ano das grandes catástrofes naturais mas não consigo encontrar forças e sinceridade para vibrar por todos os que ainda estão vivos, por outro lado cá dentro sinto que se eles não morressem um mal pior  acontecer-lhes-ia.”
Esta frase tornou-se confusa porque eu queria enviar vibrações positivas para os que morreram mas não conseguia vibrar pelos vivos porque algo pior ainda podia acontecer… Ontem assustei-me e hoje caí na realidade da radioactividade quando ouvi na rádio que estão a enviar aviões maiores para mais rapidamente deslocar as pessoas de Tóquio. Em Tóquio?????

Namastê