Chapéus de Sol

Não consigo perceber porque é que as pessoas levam Chapéus de Sol para a praia se debaixo deles só metem as malas e as geleiras. As pessoas têm espaço mas... é ao Sol.

E as pessoas que levam tudo, tudo mas tudo em sacos, saquinhos e sacaloras (em vez de num grande saco com rodas - tipo compras de supermercado) e a toalha fica parecida com uma exposição de malas e depois metem ... as crianças ao Sol?

Por falar em crianças: e as pessoas que levam crianças mas que não levam Chapéu de Sol? 
Algumas chegam à praia ás 13h com a criança numa mão e a malita na outra. Eu fico à espera de ver aparecer o chapéu de Sol, a correr, talvez se tenha atrasado a fechar a porta do carro ou ficado a comer um gelado mas, não tenho sorte nenhuma.



E os belos dos Chapéus feitos daquele "tecido" plástico? 

As pessoas que se dizem inteligentes até pensam que fazem uma coisa esperta quando os vão comprar à Decatlon (afinal se a Decatlon vende é bom) porque (e isto já me foi dito) o plástico é mais grosso e tem uma dupla protecção mas a verdade é que a porcaria é toda a mesma.


Este pequeno artigo foi o que mais rapidamente encontrei e apesar do artigo ser brasileiro é uma importante chamada de atenção. Aconselho a consultarem um médico para confirmarem que os Chapéus de Sol, para uma melhor protecção, não devem de ser nem de plástico, nylon etc.


"A radiação solar é composta por três faixas de comprimento de onda: infravermelho, espectro visível e ultravioleta. Esta última faixa é constituída por três sub-faixas: UVA (320-400nm), UVB (280-320nm) e UVC (100-280nm), e é a principal responsável pelo desenvolvimento do câncer e o envelhecimento da pele.
Os raios UVB são carcinogênicos, ou seja, causam câncer ou promovem o crescimento de tumores iniciados anteriormente por outros agentes, e a sua ocorrência tem aumentado muito, em função, principalmente, da destruição da camada de ozônio, o que tem permitido, inclusive, que os raios UVC alcancem mais a atmosfera terrestre, e estes são mais potencialmente carcinogênicos. Por sua vez, os raios UVA independem da camada, e causam câncer na pele em quem se expõe a eles em horários de alta incidência, continuamente e ao longo de muitos anos.
Para prevenir, a Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD recomenda que todas as medidas de proteção sejam adotadas quando houver exposição ao sol: uso de chapéus, guarda-sóis, camisetas e protetores solares. Também deve ser evitada a exposição solar entre 10 h e 16 h. Preocupados com esse problema, muitos brasileiros utilizam guarda-sóis para se proteger. Em países como o Brasil, aonde os índices de radiação já chegaram próximos ao nível máximo, o guarda-sol atua como um importante instrumento de proteção contra os efeitos nocivos do sol. É importante ressaltar que as barracas usadas nas praias e piscinas devem ser feitas de algodão ou lona, que absorvem 50% da radiação ultravioleta. As barracas de nylon formam uma barreira pouco confiável: 95% dos raios UV ultrapassam o material. Mas será que as existentes hoje no mercado nacional protegem mesmo?"


Comentários