terça-feira, 30 de abril de 2013

Sexo na Gravidez

Depois dos puns, dos chichis e de outros "is" uma das coisas que pouco ou nada se fala abertamente é sobre o sexo durante a gravidez- Ah o Sexo esse malandro!!!

Até tremo quando oiço que não fazem porque têm medo, porque faz impressão por isto ou por aquilo. Cada um não faz pelo seu motivo mas tenho a dizer que...  É a Loucurrrraaaaaaaaaaaa!!!!

  • Nos primeiros 3 meses existem receios. 
  • Nos segundos 3 meses só de pensar nisso acontecem dezenas de orgasmos.
  • Nos últimos 3 meses antes de começar já estamos ofegantes.





segunda-feira, 22 de abril de 2013

Sob Pressão




Este bebé tem dias que faz tanta pressão mas tanta pressão que ...


...penso em mudar-me para o wc!

domingo, 21 de abril de 2013

Emoções

Podem falar á vontade mas ninguém no Mundo nos prepara para certas coisas, lê-se muita coisa, ouve-se outras tantas mas a realidade do que sentimos é bem diferente.

Durante estas 30 semanas de gravidez já passei por várias emoções e vários foram os pensamentos que percorreram a minha cabeça. Já tive medo, senti insegurança. Já me questionei se deveria ter engravidado, já me deliciei com as maravilhas de saber que tenho esta doçura dentro de mim e imaginei fazer coisas encantadoras mas, uma coisa nunca passou - o medo.

Quando de repente penso nas coisas erradas que podem acontecer tenho medo, muito medo de todas as coisas erradas que podem acontecer na vida de uma pessoa até ao final dos seus dias e neste caso essa pessoa é o meu filho. Lembro-me de ter passado por isso com o nascimento do meu irmão e durante anos mas exactamente como eu previa, esse sentimento, é mais do que quadruplicado com o meu filho e por esse motivo evito imagens e leituras mais sensíveis que mostrem deficiências,  fome, guerra, doença e extrema pobreza de pessoas e principalmente de crianças.


Não sou nenhuma besta e muito menos uma pessoa insensível mas torna-se tudo demasiado dramático e com proporções grandiosamente inimagináveis dentro de mim e na minha cabeça. 

Preciso e tenho necessidade de acreditar, ter esperança e fé num Mundo melhor onde o meu filho será para sempre protegido e abençoado. Onde a alegria e o amor serão a única coisa que se lhe é dado a viver. Qualquer coisa fora destes sentimentos deixam-me profundamente abalada. 


Por algum motivo o meu marido deu-me a alcunha de chorona.



segunda-feira, 15 de abril de 2013

Dói-me

Cada vez que saiu de uma ecografia a minha tristeza volta e a minha dor aumenta, parece que desta vez veio para ficar. O rim continua dilatado e se o bebé não se curou até agora terá de ser feita uma intervenção após o nascimento mas só nessa altura é que se saberá que tipo de intervenção.

Continua a ser-me explicado a não gravidade da situação mas não consigo evitar de ficar triste e chorar
porque o meu bebé tem um dói dói e a expectativa do que virá por aí e da intervenção deixa-me triste e um pouco ansiosa.


Desta vez já não posso ter esperança que algo mude na próxima ecografia, foi o fim da linha e ninguém consegue perceber porque me correm as lágrimas de tristeza e preocupação - o meu bebé tem um dói dói e não existe nada que eu possa fazer a não ser esperar e rezar que apesar disso ele continue a fazer funcionar, na perfeição, todos os outros órgãos para que o seu estado permaneça estável e eu continue a ouvir que esta situação é frequente e "normal".

quinta-feira, 11 de abril de 2013

A Minha Luz

Do Outro Mundo e 2 semanas após os acontecimentos que relatei aqui ela diz-me:
- Vou-me embora, é altura de evoluir, já tens quem cuide de ti e quem brinque contigo. O teu filho vem a caminho e ele tomará conte de ti, brincará contigo, ele vai proteger-te. Eu continuarei sempre ao teu lado mas agora um pouco mais longe mas preciso de ir e agora já posso ir descansada. Ele vai proteger-te, não fiques triste e não tenhas medo eu estarei sempre a ver-te se alguma vez for preciso eu voltarei para mais perto de ti mas não te preocupes.

Durante outras 2 semanas eu chorei desalmadamente a partida de alguém que amei incondicionalmente mas que nunca conheci. Uma parte do meu Ser deixou-me.

Para mim aquele dia foi o dia efectivo da morte dela, que pela certidão de óbito que tenho morreu em 1986 e ainda hoje enquanto escrevo isto e me lembro da tristeza de a ver partir choro com uma profunda tristeza no coração mas alegria por saber que ela continua bem e teve a possibilidade de crescer, viver e aprender no Outro Mundo. Sempre a soube bem porque ela sempre tomou conta de mim mas agora o "bem" dela tem muito mais luz.

Deus perdoou-a, se havia algo para perdoar e ajudou-a na sua profunda tristeza de ao ter cometido um erro á 60 anos atrás ter sido vitima desse mesmo erro toda uma vida, sem nunca ter tido ninguém para a confortar - eu nunca a censurei e em 1990 descobri porquê.

Nunca te vi o rosto nem em foto, nunca falei contigo, não sei quem és ou foste mas para mim sempre foste o maior amor da vida e o meu maior sonho era poder ter-te pelo menos dado um beijo, fazer-te uma festa. 

Trago no coração a alegria e a tristeza de não te poder apresentar o teu bisneto e o facto de ter de substituir um grande amor por outro ainda maior.

Serás sempre a minha vida, o meu anjo da guarda, o meu amor mais profundo, serás sempre a minha Luz e aquela que sei que um dia me virá guiar e acompanhar. Espero, nessa altura, ser merecedora de poder estar a teu lado.

Amo-te Muito Avó.


quarta-feira, 10 de abril de 2013

Só Permitido a Grávidas

Existem coisas só permitidas e aceites ás grávidas. 
Na gravidez dar puns torna-se fonte de aplauso e satisfação da comunidade médica e a pergunta que todos fazem é:
- Tem Gases? Sim? Boa!!!

É a loucura...





quinta-feira, 4 de abril de 2013

O Sossegado... Até Agora!

O Diogo gosta de férias, de passear, de ir para a praia. A passear adormece e na praia mexe-se mas de contentamento, mete-se a jeito - é tão giro sentir as diferenças!

O Diogo não gosta de estar apertado. 
Quando me sento tenho de desapertar o botão das calças, elas não me estão apertadas mas ele sente um certa pressão e desata a espernear e só sossega quando eu faço o que ele quer.
A pedido da médica comprei uma cinta porque tenho a barriga grande, só que o puto não gosta nada daquilo e depois de passarem 3 dias e 20€, a cinta está arrumada a um canto, nem com a ajuda das enfermeiras eu consegui que ele a suporta-se.

Era uma guerra com ele desassossegado e a dar pancadas por todo o lado, ás tantas experimentei desabotoar as calças e tirar a cinta e tudo ficou tranquilo. 

O Diogo deixa-me dormir, na hora do soninho eu meto a música dele junto da minha barriguinha ele dá 2 ou 3 voltas e fica quietinho. Quer dizer fica quietinho se eu não o esborrachar no lado direito porque se  sentir amachucado começa logo a dar pontapés até eu me deitar ao jeitinho que ele gosta.

E é assim o Diogo... até agora e agora que o comecei sentir muito bem a perceber (ou a tentar) os seus gostos.