quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Mensagem de Fim de Ano 2015


Quem olha para mim hoje não sabe, nem imagina nada do meu passado. 

Tenho histórias para contar e muitas delas com tentativas de suicídio outras em que eu valia muito dinheiro, propriedades, cheques em branco. Sempre foi louca mas sempre preservei aquilo em que acreditava. 

Os meus pedidos de Desejos ás Estrelas Cadentes sempre foram ser Feliz. Se olhar para trás tenho a certeza absoluta que se tivesse tomado outras atitudes teria outra vida completamente diferente mas sempre acreditei que só Amor me faria Feliz e por Amor aqui estou. 

Nunca na vida eu pedi mais que isto a não ser Saúde quando o meu filho nasceu e é isso que continuo a pedir para o próximo ano de 2016 que para mim vai começar com muita tristeza no coração porque pensei que finalmente tinha conquistado outros amores da minha vida mas outros valores e interesses se levantam. 

Para todos um grande agradecimento por estarem na minha vida e FELIZ ANO NOVO mas para o meu irmão que sempre pediu à nossa mãe por mim e sempre me defendeu o meu profundo agradecimento. Para a minha mãe que sempre sofreu o Diabo a 4 com a minha pessoa devido à minha rebeldia e feitio, tudo o que te puder dar será teu e para ti MEU FILHO dou-te a minha vida. Se não fosses tu eu jamais saberia o que é verdadeiramente AMAR.


Obrigada á minha madrasta, á minha irmã e ao meu pai por tomarem conta do meu filho.

Estou tão triste que até a mim me faz impressão...

O Muro

Sabes aquela sensação em que vês que todas as portas estão abertas mas um muro invisível não te deixa entrar em nenhuma e qualquer uma serviria para a tua estabilidade emocional e também material???

É assim que acabo 2015 e que não comemoro a entrada em 2016.

Depois de uma noite praticamente sem dormir, apesar da medicação, a única coisa que quero é sair do trabalho, descansar um bocado até á chegada do meu filhote, sentar-me a brincar com ele, abraça-lo e rezar para que ele continue um menino lindo e saudável.

Quem quiser que abra o champanhe que não vou beber, a sapateira, os camarões e o doce que nem me vou dar ao trabalho de ir comprar e muito menos de fazer. Estou muito mais que cansada.

Feliz Ano Novo.

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Posso Comer? Posso???

Pergunta-me ele depois de fazer a Estrela (do Mar). 

E com toda a razão ou não estivesse ele fartinho de saber que aquelas formas são as de fazer bolachinhas portanto... se aquelas formas são as de fazer bolachas aquela "massa" só pode ser para comer!!!

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Prendas

Este ano o Diogo sabe muitas coisas sobre o Natal e tem consciência do ambiente que o rodeia: Sabe que o Pai Natal vive no Pólo Norte, que as renas voam por causa dos pós mágicos (como os da Sininho), que tem uma fábrica de brinquedos, que passa todo o ano a fazer brinquedos com a ajuda dos duendes, que só dá prendas aos meninos que se portam bem, que tem de lhe escrever uma Carta e viu a que recebeu, que o Pai Natal aparece na noite em que o Menino Jesus nasce.

Sabe que o Menino Jesus mora na igreja onde toca o sino, que quando cresceu foi morto pelos romanos e que agora é a Estrela que mais brilha no Céu (a do Urso Grande como ele diz) para lembrar a todas as pessoas que têm de se portar bem e de ser sempre boazinhas.

Esteve-se completamente a borrifar para o copo de leite e para as bolachas porque mal entrou na sala deu de caras com a Cidade em 3D.

Mas nada melhor que ver a sua reação a abrir prendas e desfrutar juntamente com ele, na sua com calma e paciência, a descoberta de um novo brinquedo.

Por mais prendas que tenham, os miúdos, têm inclinações para certas coisas. Este ano, pela primeira vez, o Diogo teve consciência do que era o Natal e por isso tivemos um cuidado diferente, o cuidado de não lhe dar muitas prendas mas de lhe tentar dar algo que lhe fosse familiar e que fizesse parte das suas brincadeiras diárias.

Cá em casa as prendas foram abertas no dia 25, quando ele acordou, como se deitou tarde, acordou tarde e mesmo assim ainda estava na ronha, na cama, quando ouviu um grito de espanto da mãe a chamá-lo para ele vir ver o que estava na sala (porque senão era 12h e ainda não havia abertura de prendas lol).

Não foi fácil tirá-lo de frente da Cidade em 3D mas eu achava que o melhor ainda estava para vir e foi o que aconteceu. O Diogo não largou o Peter Pan, ficou deliciado com o resto dos bonecos que fazem parte da Terra do Nunca e a única coisa que lhe tirou um som de reação e espanto foi o Barco dos Piratas.

Ele gostou de todas as outras prendas,das dos Minimos que ele não faz a minima ideia do que sejam mas aquele barco...

Se juntarmos o barco á cidade e ao:-Mãe empurra da trotinete dada pela avó e pela "tia" Gaby e o tio... Pena foi eu não ter visto a reacção dele aos ténis com luzinhas mas segundo o padrinho e a "tia" o difícil foi conseguir que ele continuasse a andar mas aquele barco....




Play Mat: Cidade 3D em Feltro

Depois das férias (de que irei falar mais adiante) _ O Natal. E neste Natal uma das prendas preferidas do Diogo foi a cidade de feltro em 3D feita por mim.

Existem na internet várias Palymat mas eu queria fazer uma coisa diferente e para isso juntei várias ideias e temas do interesse do Diogo.

Primeiramente era para ser transportável mas isso tornou-se difícil á medida que a cidade ia crescendo e cheguei à conclusão que se fosse fixo era uma boa ideia porque ele começou a sentar-se junto ao presépio e a entreter-se muito a brincar com os bonecos (de plástico grosso).

E de repente depois de muitas horas de trabalho a Cidade do Diogo tomou forma e ele gosta muito dela.Como no dia de Natal ele já andava bastante entretido com a sua cidade mas ela teimava em não ficar esticada acabámos por tirar o presépio e no seu lugar prender a Cidade com pioneses, o que deu ainda mais tempo de brincadeiras e puxou pela imaginação...

Não me perguntem o custo porque já tinha alguns feltro, comprei outros tantos, tinta para tecido (que não usei), cola, também foi cozido á mão e à máquina, tive de comprar carros, helicópteros, carros de bombeiros, carros policia (que não chegaram a tempo), tractores, aviões, animais marinhos, animais do Zoo, dinossauros, etc. Entre o Continente, o Ebay, lojas Chinesas e a ToysUrus a coisa compôs-se ;)

Logo que viu a sua Cidade quis brincar com ela. Rapidamente percebemos que podíamos ter ali um brinquedo de sucesso e que deveria ter sido uma boa aposta:


Depois foi criar condições para que pudesse desfrutar dela a 100%:



E agora os detalhes com portas que abrem, rochas onde se podem esconder coisas, aviões que aterram em qualquer lugar, animais que vivem em castelos, túneis, comboios que fazem som, gruas que depois se descobre que até mexem e animais que entram e saem do mar para conviver com outros animais ou andar na estrada. a imaginação aqui não tem limites e a ela acrescenta-se outros brinquedos que se misturam em tempos de diversão infindáveis (até agora).




















quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

O que é isto?

Eram 23h e o Diogo estava deitado ao meu lado, só queria conversar enquanto tirava macacos do nariz, fazia bolinhas. dava-mas e perguntava:
- O que é isto?

23h...

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Diálogos e Entendimentos do Diogo

Para entender como é que o Diogo consegue expressar-se de certas formas, fazer certas perguntas e receber tipos de respostas que entende, talvez diferentes das que seriam dadas e feitas pelos meninos da idade dele (como aqui) é preciso perceber que o Diogo fez testes para o Grupo ABC e que os resultados surpreenderam-nos. 

Nós percebíamos a percepção dele mas ouvir de um profissional que o nosso filho tem capacidades motoras perfeitamente normais para a idade dele mas capacidades de entendimento, expressão e linguagem para um menino de 3 e 4 anos é... motivo de grande satisfação mas ao mesmo tempo um pouco assustador no sentido em que é preciso ter muito cuidado com o que dizemos e fazemos porque ele percebe e assimila tudo com outra atenção e percepção.

O Grupo ABC é um projecto pioneiro em Portugal que consiste em playgpoups para crianças até aos 4 anos que não frequentam a escola com o apoio do Governo Português, a Universidade de Coimbra, a Calouste Gulbenkien, entre outros. Podem inscrever-se aqui.

Diogo e o Conceito de Morte

O Diogo descobriu a morte, ainda não sabe realmente o peso que ela tem mas descobriu-a e a culpa é do Bambi.

Ele não vê muitas vezes o Bambi mas das poucas que viu reteve imagens, frases, tal como faz com todos os desenhos animados que vê e repete-as. Repete as frases, reproduz as imagens e conta-me as histórias dentro da "grande" história. 

Ora, o Diogo andava com observações num tom ligeiramente diferente sobre a mãe ter abandonado o Bambi (o problema não era dizer que a mãe deixou o Bambi mas sim a forma como o dizia). Eu já lhe tinha dado uns tópicos mas perante uma observações mais veementemente feitas sobre a mãe ter abandonado o Bambi eu expliquei-lhe como quem não quer a coisa que:

- A mãe do Bambi não o abandonou. A mãe do Bambi morreu. Vês os cães maus atrás do Bambi?
- Xim.
- Existem homens maus que tratam mal os cães e eles ficam cães maus. Os cães maus fizeram mal á mãe do Bambi e ela morreu. Morreu e é por isso que não está sempre ao pé do Bambi.
O Diogo olha para mim pensativo.
- A mãe do Bambi é uma estrelinha que está no céu, está muito longe. Brilha muito mas só o Bambi é que vê porque está ligada ao coração dele. Ela toma conta dele e vê-o onde está mas não pode estar ao pé dele.
- Como aquela stela? (aquela estrela é a Estrela Polar)
- Sim, mas essa estrela, a Estrela Polar, do Urso Grande, todos a vimos para não esquecermos que temos de ser bonzinhos e portar bem e a estrela da mãe do Bambi só ele é que vê - é especial.
- Tá bem, mãe.

Continuámos a brincar, deitados no chão do quarto dele, a ver o comboio a andar ás voltas na linha e ele diz-me:
- Mãe, a mãe do Bambi não abandonou o Bambi, morreu é uma stela.